Mulher

Gravidez ectópica, risco de vida

Gravidez ectópica, risco de vida

O que é a gravidez ectópica? E tubária (nas trompas)? A gravidez comum começa com um ovo fertilizado. Normalmente, o óvulo fertilizado se prende ao revestimento do útero. Na gravidez ectópica, o óvulo fertilizado se implanta em algum lugar fora do útero.

Gravidez tubária

A forma mais comum de gravidez ectópica é a gravidez tubária, que é dentro das trompas de Falópio.

Motivos da gravidez ectópica e ou tubária

A gravidez ectópica surge quando algo de errado ocorre no trajeto da célula ovo até o útero. Em grande parte dos casos de gestação ectópica, o ovo não percorre todo o caminho e acaba se alojando precocemente na parede de uma das trompas. E em outra pequena quantidade restante, a implantação do ovo ocorre em outros lugares, como ovário, colo do útero ou cavidade abdominal. Ela é uma gravidez que não existe a menor possibilidade de ser levada a frente. Além do ovo não se desenvolver normalmente no útero pode causar graves lesões e inclusive se não for tratada a tempo pode causar a morte.

Fatores de risco para gravidez ectópica

Existem diversos fatores de risco para gravidez ectópica, entre elas:

-Gravidez ectópica anterior
-Inflamação ou infecção das trompas de Falópio
-Problemas de fertilidade
-Trompas de Falópio com um formato incomum
-Idade materna avançada de 35 anos ou mais
-História de cirurgia pélvica, cirurgia abdominal, ou vários abortos
-História de endometriose
-Concepção auxiliada por medicamentos de fertilidade ou procedimentos
-Tabagismo
-História de DSTs
-Uso inadequado do DIU. Se utilizado corretamente, o DIU deve impedir a gravidez. No entanto, se por algum motivo ela ocorrer, provavelmente será ectópica
-Gravidez após cirurgia de laqueadura. Embora a gravidez após a ligadura tubária seja rara, se isso acontecer, é mais provável que seja ectópica.

Sintomas da gravidez ectópica/tubária

Em algumas mulheres, os sintomas da gravidez ectópica são bem parecidos com a de uma gravidez tópica, com ausência da menstruação, enjoos, tonturas, aumento dos seios, assim como uma gravidez comum, inclusive testes de farmácia, exame de sangue beta HCG o resultado é positivo. Na maioria dos casos, as mulheres não apresentam sinais ou sintomas, inicialmente e nem sequer desconfiam que estejam grávidas quando os primeiros sinais da gravidez ectópica surgem ao redor da 6ª a 8ª semanas de gestação. E o que faz procurar o médico são as dores que com o tempo da gestação começam aparecer. São elas:

Dor Abdominal
Atraso Menstrual
Sangramento Vaginal

Esses sintomas nem sempre estão presentes ao mesmo tempo, mas eles são os mais comuns de uma gravidez ectópica. A dor abdominal é geralmente unilateral, mas pode ser difusa, com maior intensidade do lado da trompa afetada. A dor varia de fraca a mais forte, dependendo do grau da evolução da doença, se existir sangramento pela trompa, a paciente pode-se queixar de dor com irradiação para o ombro. Se houver rotura, a dor abdominal torna-se mais forte, e surgem sinais de peritonite. Nestes casos, o sangramento pode ser intenso e a paciente corre risco de entrar em choque circulatório.

Como detectar a gravidez ectópica ou tubária

É muito difícil detectar uma gravidez ectópica apenas pelos sintomas. Geralmente o diagnostico só vem após um exame de ultrassonografia transvaginal.

Uma maneira bem comum de identificar esse tipo de gravidez é quando o beta HCG tem resultado positivo combinado com a ausência de embrião no útero, são fatores importantes para chegar ao diagnóstico.

Tratamento da gravidez tubária/ectópica

E para o tratamento da mesma dependendo do grau de gravidade da gravidez é necessário a retirada da trompa, Mas porem se estiver no inicio existem remédios para impedir o desenvolvimento do embrião, e tem também o tratamento cirúrgico, para remoção do embrião mal implantado. Na maioria das vezes, a cirurgia é feita por via laparoscópica. O objetivo é remover o embrião e corrigir a área danificada da trompa. Mas quando já existe sangramentos ou rotura da trompa, a cirurgia é a tradicional, aberta. É a forma mais certa de se fazer nesses casos. Porem nem sempre é possível reparar a trompa, caso contrario a mesma tem que ser retirada. Mesmo tirando uma das trompas a mulher pode engravidar normalmente, isto é, se a trompa do outro lado estiver saudável.

 

FONTE: Accuracy of first‐trimester ultrasound in diagnosis of tubal ectopic pregnancy in the absence of an obvious extrauterine embryo: systematic review and meta‐analysis – A Richardson, I Gallos, S Dobson, 2016.

 

Autor: Redação Saúde Alimentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

notícias relacionadas

mais lidas em Mulher